sábado, março 24, 2007

Canto de Al Mah: Dançando a Lua, Retiro em Sevilha


Canto de Al Mah: Dançando a Lua
Flamenco, Dança Oriental, A Voz do corpo
As quatro fases da Lua e os arquétipos Femininos
5 a 8 de Abril
retiro na Natureza, perto de Sevilha
Rosário Peinado, Iris, Helena Madeira
Al Mah é uma antiga deusa da Lua da pré-Lusitânia e Ibéria, de origem Árabe. O seu significa Fonte, e está na origem da palavra Alma, assim como a Lua está na origem da essência feminina. Partindo da Lua, das suas quatro fases e do simbolismo arquétipo destas fases na vida da mulher, exploraremos os cantos e recantos da Alma feminina. Descobriremos a respiração, o corpo, a pele, a voz, a memória e a criatividade. Reencontrando o sagrado feminino dentro de nós, evocando cantos e contos, celebrando a Liberdade, a emoção, buscando dentro de nós as raízes da Lua e transformando em dança e espaço e luz a nossa vivência.
Cada dia trabalharemos uma fase da Lua, explorando três técnicas específicas:Flamenco, Dança Oriental, O meu corpo é Voz, entrecruzando meditação, expressão criativa e improvisação nesta viagem, bem como a fusão destas três formas de expressão artística.
Flamenco
Um trabalho onde se combinam elementos que remetem para o mais interior e genuíno do ser humano, por um lado, e para o despertar e aperfeiçoamento das suas capacidades intrínsecas, por outro.O resultado é um movimento puro e sensual, completo, surpreendente e inovador.Fogo, terra, ar, água, dançam num círculo eterno de palavras, frases, sentimentos e emoções.
Dança Oriental
Este trabalho é um chamamento, um regresso às formas naturais da mulher, um cântico a cada parte da sua anatomia. Sendo uma dança milenar, atravessou diversos povos, desde civilizações pré-clássicas até aos povo Árabe.Foi uma dança de homenagem à fertilidade e à Grande Deusa, bem como uma dança preparatória para o parto, e uma simples celebração da vida quotidiana. A mulher como uma árvore, enraizada e flexível, naturalmente plena e ondulante.
AVoz do corpo
Encontro entre a consciência corporal, a meditação, a respiração e a voz. O conhecimento da Voz como um instrumento orgânico integrando apesquisa da anatomia e do funcionamento do corpo, através de exercícios que permitam consciencializar, mas sobretudo sentir este instrumento.
A Voz do Corpo destina-se a quem queira escutar o corpo e quem, através dele, se queira exprimir e não a quem queira aprender a cantar. A expressão vocal livre, sensorial nasce naturalmente de um processo centrado na respiração e no respeito do corpo.
Local: Quinta El Molino(solicite-nos via mail o mapa de localização exacto)
Chegada dia 4 ao fim da tarde
Partida dia 8 a partir das 16h
As refeições são vegetarianas, preparados com todo o cuidado e carinho, bem como os melhores ingredientes!
Todas as noites depois do jantar teremos um momento para o serão, onde serão contadas histórias, cantaremos e dançaremos!
Alojamento: Quartos partilhados, regime de pensão completa
Condições: 380€
Tudo incluído (alojamento, alimentação, aulas)
Possibilidade de partilhar transporte automóvel, ou de ir de autocarro até Sevilha, sendo recolhido no terminal pela organização que a trará até à quinta.
-Pagamento integral no acto de inscrição, ou em duas fases: 50% no acto de inscrição + 50% no primeiro dia do curso
Inscrições após dia 20 Março, agravamento de 10%
Informações/Inscrições:Íris 965 143 973iris.aiga@sapo.pt
Rosário Peinado
Para além da sua formação em Dança Clássica, Teatro, Dança Contemporânea e Música, Rosário Peinado especializa-se em Flamenco com Mario Maya, Manolo Marín, Fernanda Romero, Concha Vargas e Andrés Marín, entre outros. A nível de desenvolvimento pessoal, estuda Xamanismo Solar, Ioga, Taichi, Diafroterapia, Movimento Harmónico e Danças do Mundo.A sua carreira caracteriza-se pelo cruzamento e fusão de todas estas disciplinas. Uma abertura que lhe tem permitido desenvolver um trabalho onde se combinam elementos que remetem para o mais interior e genuíno do ser humano, por um lado, e para o despertar e aperfeiçoamento das suas capacidades intrínsecas, por outro. Entre outros, integrou a Companhia de Mario Maya com “El Amor Brujo” de Manuel de Falla; trabalhou na Need Company, sob a direcção de Jan Lauwers;no espectáculo “Bodas de Sangre”, de García Lorcae com o seu próprio grupo flamenco, apresentando o espectáculo “Luna Flamenca”.Actuou em Espanha, França, Itália, Bélgica, Grã Bretanha, Holanda, Alemanha, Áustria, Marrocos, E.U.A e Colômbia.
Íris
Para além da sua formação em teatro, literatura, Dança Contemporânea e Moderna, Íris encontra na Dança Oriental a sua forma Orgânica de expressão. O seu trabalho compreende uma pesquisa pessoal profunda que abrange Dança Clássica Egípcia, Danças tradicionais folclóricas e rituais do Médio Oriente, danças ciganas do mundo, Flamenco, Dança Indiana, Yoga, Meditações estáticas e dinâmicas e Dança Contemporânea.A sua formação passou por mestres como Shokry Mohamed, Myriam Szabo e Farida Fahmy, que inspiraram uma profunda aprendizagem simultaneamente ao nível técnico e humano. Dançou com Myriam szabo e as Salamantra, acompanhou os grupos «Les Aminches» (França), «Ciganos d’Ouro» (Portugal), entre outros . Participa, e produz o espectáculo «Danças de Negro» com Paula Lena (Argentina). Participa nos espectáculos de Hossam Ramzy, Jillina e Sharon Kihara (Bellydance Superstars), em Lisboa.Actualmente colabora com o percussionista Baltazar Molina (Dazkarieh). Faz parte do grupo «Rosa Negra», dançando o seu trabalho de estreia «Fado Ladino».Desenvolve um trabalho de pesquisa de movimento pessoal, baseado na integração de arquétipos mitológicos ancestrais na expressividade da Dança, e no interno espaço sagrado que a dança proporciona. Uma força espiral, girando, simultaneamente, para o interior e para o exterior. Poesia de vento e pele, inspiração de Luar…
Helena Madeira
O seu percurso como ser humano contempla dez anos de dança (moderna, contemporânea, africana e, recentemente de uma forma mais aprofundada, a dança oriental); trabalhos intensos em pesquisa teatral; Estudo da Voz enquanto instrumento orgânico e colaboração em projectos de intervenção social onde procura desde sempre uma abordagem elástica com várias vertentes artísticas que, sirvam os objectivos sociais do indivíduo/criança.
Destaca os encontros com Sofia Neuparth e Howard Sonenklar na pesquisa do Movimento e no estudo do Corpo; Fernando Nogueira e António Feio no trabalho teatral; Fernando Serafim na Voz e Chullage na intervenção Social. Actualmente, colabora como cantora em vários projectos musicais, estando também a preparar um espectáculo performativo que atravessa diversas áreas de expressão na análise da temática do “Ritual” mas também, a trabalhar repertório tradicional português.Do ponto de vista académico é licenciada em Antropologia e em Língua e Literatura Italiana.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home