segunda-feira, março 03, 2008

A Tenda Vermelha : mulheres do médio Oriente, espectáculo



Espectáculo dia 4 de Abril
21h30, auditório Odivelas Parque


Direcção artística: Iris
Dança:Íris,Cláudia Sequeira,Cristina Coelho e Vera Mateus

A Tenda Vermelha era o espaço onde as mulheres pré-árabes viviam os seus ciclos femininos. Esta tenda era exclusivamente feminina, sendo o local para o qual as mulheres se retiravam do mundo exterior nos momentos de menarca (quando a Lua lhes estava no sangue), aqui davam à luz os seus filhos, aqui passavam pela menopausa. Na tenda Vermelha eram preparados os remédios para a tribo, aqui cuidavam umas das outras, partilhando cuidados essenciais e de beleza, histórias e experiências. Aqui discutiam acerca da educação dos filhos, vivendo em conjunto rituais, alegrias, mágoas e preces. Aqui cresciam, transformando-se, envelhecendo, experimentando o sagrado feminino.
Ao contrário do geniceu grego, este local não era imposto às mulheres pelos homens, mas antes um local que as mulheres elegiam para a vivência da sua intimidade, num circulo feminino. Eventualmente, a tenda vermelha deu lugar ao Hamam, onde as mulheres do Médio Oriente, de todas as idades e condições sociais, ainda partilham as suas vidas e intimidade.
A Tenda Vermelha remete, assim, para a vivência tribal do feminina, e também para o nomadismo, as tribos viajantes do Sahara, os povos ciganos em constante migração, transformando a tenda em caravana.
Um espectáculo acerca do feminino nas culturas do Médio Oriente, em toda a sua diversidade (Norte de África, Marrocos, Egipto, Turquia), e das expressões que os povos ciganos trouxeram até à Europa (Balcãs, Espanha, Europa de Leste).
Do folclore secular, às danças tribais berberes, dos camponeses do Egipto, ao giro de inspiração Sufi da Turquia, das místicas danças de Espada, aos véus, e dos véus aos xailes ciganos, às flores exultantes dos Balcãs, e ao Flamenco – Árabe, da Dança clássica Oriental, a fusões criativas de expressão contemporânea.

Este espectáculo não é apenas uma performance, mas um convite a entrar na Tenda Vermelha. Uma vez li que no harém, a dança era uma forma de oração que as mulheres dedicavam uma ás outras. Assim, partilharemos dançando o contínuo movimento da Vida em nós.
A sempre cambiante experiência de ser Mulher, de ter o sangue no ritmo das Luas e mares, unindo todas as culturas numa dança feminina, cíclica e fértil como as estações.

Info/reservas:
Íris: 96 514 39 73 iris.aiga@tele2.pt
www.malaposta.pt

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home