sábado, julho 12, 2008

Pele da Alma:Eco-Retiro na Natureza 31 Out,1 e 2 Nov


Dançando a mudança de pele
Iris e Helena Madeira
Eco-Retiro na Natureza Ferreira do Zêzere
31 Outubro, 1 e 2 Novembro


Nesta fase do ano, celebra-se a passagem do ano ancestral. O samhain ou, actual Halloween representa a passagem para o ano lunar, momento de “despir” a velha pele, de deixar cair as folhas como as àrvores, de “deixar morrer para deixar nascer”. Do mesmo modo, este é um período favorável ao reencontro de si mesmo. Da sua pele original, a essência da Alma, perdida outrora.
Neste Retiro trabalharemos o despojamento, a libertação dos condicionamentos passados, o espaço vazio de onde poderá, mais tarde brotar, a verdejante Primavera do Espírito.
Para tal, vamos recorrer ao Arquétipo de Hekat, anciã, a mulher-loba, a mulher-rã, a mulher-coruja. A que guia nos caminhos, nas encruzilhadas, nas travessias vida-morte-vida.

Yoga, Dança Oriental, A voz do Corpo, Dança Contemporânea,
Taças Tibetanas, Meditação e visualização criativa,
Dança Orgânica, contos da Alma


Material necessário:
Roupa simples e muito confortável
Roupa velha (que tenha usado muito) para cortar e desmanchar
Linhas, agulha, tesoura e dedal
Meias quentinhas

Condições:
31 Outubro, 1 e 2 Novembro : sexta a domingo
Programa:
Chegada: sexta ao fim do dia, 20h00 (para jantar)
Partida: domingo, a partir das 17h00

Valor:
Retiro (alimentação vegetariana completa incluída): 100€
Estadia: Colchão no chão - 20€ Cama fofa - 25€
Alunas Aiga e grupos de 5 pessoas: 10% de desconto
Possibilidade de parcelar o pagamento em fracções a definir, contacte-nos!
Reserva obrigatória até dia 25 Outubro, mediante sinalização obrigatória de 50€ (não reembolsável em caso de desistência), dedutíveis do valor total do retiro.
Vagas limitadas!

Local:
Casa de Avecasta, Ferreira do Zêzere
(solicite-nos por mail o mapa para chegar,
Consulte-nos acerca da possibilidade de partilhar transporte)

Informações/ Inscrições:
Iris 96 514 39 73
iris.aiga@tele2.pt aiga@sapo.pt

As Técnicas:
Yoga, Pranayama (respiração consciente) e meditação
Ao acordar, respiraremos activando os centros nervosos, as células, a consciência e a concentração, recuperando uma postura e bio-dinamismo mais saudáveis. De encontro às fontes naturais de energia e prazer pela sensação, consciência contemplativa e fluidez.
Compreender a natureza do corpo de cada uma de nós, seus limites e bloqueios, visando superar as dificuldades e ir mais longe no que o gesto permite; através de exercícios e posturas de flexibilidade, força, equilíbrio e movimento. Trabalharemos técnicas de Pranayama (respiração consciente), meditação activa (giro de inspiração Sufi, exercícios de movimento e confiança, despertar da sensação intuitiva), Yoga, massagem e princípios de corpo Ayurvédicos, de forma a integrar o corpo e mente como um todo, fortalecer a estrutura óssea e muscular, aumentar a flexibilidade, corrigir a postura e maus hábitos instalados nos gestos correntes; estimulando, simultaneamente, a concentração, a serenidade, a observação consciente e a expressão emocional e criativa. Despertando sensações desconhecidas, mergulhando na memória e potencial infinito do corpo e ser femininos.

A Voz do corpo
“As canções são pensamentos cantados pela respiração quando as pessoas são movidas por grandes forças para as quais já não basta a fala comum.” Orpingalik, xamã e poeta do povo Inuit de Netsilingmiu, 1923. Encontro entre a consciência corporal, a meditação, a respiração e a voz. O conhecimento da Voz como um instrumento orgânico integrando apesquisa da anatomia e do funcionamento do corpo, através de exercícios que permitam consciencializar, mas sobretudo sentir este instrumento.A Voz do Corpo destina-se a quem queira escutar o corpo e quem, através dele, se queira exprimir e não a quem queira aprender a cantar. A expressão vocal livre, sensorial nasce naturalmente de um processo centrado na respiração e no respeito do corpo.

Dança Oriental
Este trabalho é um chamamento, um regresso às formas naturais da mulher, um cântico a cada parte da sua anatomia. Sendo uma dança milenar, atravessou diversos povos, desde civilizações pré-clássicas até aos povo Árabe. Foi uma dança de homenagem à fertilidade e à Grande Deusa, bem como uma dança preparatória para o parto, e uma simples celebração da vida quotidiana. A mulher como uma árvore, enraizada e flexível, naturalmente plena e ondulante.

Dança Orgânica
Inspirando-nos de contos arquétipos para estimular o subconsciente e trazer á consciência imagens e sensações ancestrais.
Redescobrir o corpo, a memória da sensação, a capacidade de unir a imaginação e a visualização criativa à sensibilidade de cada parte do corpo. Abstrair-se do olhar exterior para mergulhar em profundidade na visão interior, ouvir e ouvir-se, meditar vivendo plenamente a experiência da emoção sugerida, mover-se, dançar, tocar, chorar, rir, elevar-se pelo êxtase de sentir, celebrar profundamente e parar, abraçar o silêncio, contemplar…Ser infinita!

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home